Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

NIT Mantiqueira leva tecnologias de Instituições de Pesquisa para feira de pet e veterinária

Publicado: Sexta, 11 de Agosto de 2017, 16h31

Em parceria com a NürnbergMesse, o arranjo de NIT’s do MCTIC reunirá tecnologias, estudos e soluções de instituições científicas tecnológicas e de inovação em stand na PetSA. Próteses impressas em tecnologia 3D e vacina para peixes estão entre os destaques

 Do dia 15 a 17 de agosto, o Núcleo de Inovação Tecnológica Mantiqueira - Arranjo de NIT’s vinculado a Diretoria de Gestão das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais do Ministério de Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) – reunirá tecnologias inovadoras das Instituições Científicas Tecnologias e de Inovação na Pet South America - Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Linha Pet e Veterinária.

O principal objetivo NIT Mantiqueira na PetSA é aproximar os mercados veterinário e de pet das soluções que estão sendo desenvolvidas dentro dos laboratórios das Instituições e que podem significar possibilidades de inovação para esses setores. A prospecção das tecnologias que estarão presentes no stand foi feita pelo NIT Mantiqueira, em parceria com a NürnbergMesse, seguindo as tendências de inovação da área em escala mundial.

Nesta edição da feira, serão apresentadas tecnologias do Centro de Tecnologia Renato Archer, Instituição associada ao NIT Mantiqueira; da Universidade Federal do Pará, associada da RedeNamor e tecnologias da Inova Unicamp, parceiros do NIT Mantiqueira na PetSA.

Conheça algumas das principais tecnologias que serão apresentadas pelo NIT Mantiqueira na PETSA 2017:

Tecnologia de Impressão 3D em próteses e órteses para Pets

Durante a feira, os pesquisadores do Núcleo de Tecnologias Tridimensionais (NT3D) do  CTI Renato Archer apresentarão o uso da tecnologia de impressão 3D para a produção, aplicação e reabilitação de prótese e órteses para animais de pequeno porte. Com vários cases de sucesso, as duas entidades vêm trabalhando em parceria para melhorar o bem-estar de animais que necessitam de auxílio. 

Liberação controlada de fármacos para combate de parasitoses em peixes

Para conter a disseminação de agentes infecciosos durante o processo de criação e manejo de peixes, os pesquisadores do Laboratório de Nanotecnologia Farmacêutica da Universidade Federal do Pará (UFPA), desenvolveu nanopartículas fluorescentes de quitosana para avaliar sua biodistribuiçao em tecidos de peixes administrado em banhos de curta duração. As nanopartículas de quitosana possuem capacidade mucoadesiva em tecidos de pele, brânquias e intestino que são considerados locais alvo para a infecção de parasitas comuns aos peixes.

Para provar a funcionalidade das nanopartículas fluorescentes de quitosana, o grupo de estudo da UFPA expôs alevinos de tambaquis amazônicos a banhos com nanopartículas. Após o experimento, os pesquisadores avaliaram a biodistribuição do composto nos principais tecidos do animal. A pesquisadora conta que foi possível observar pontos de fluorescência característicos das nanopartículas nos tecidos investigados comprovando que as partículas biodegradáveis têm potencial uso para entrega de fármacos nos principais tecidos alvos de infecção de peixes.

Ração Revestida para Aquicultura

Ração enriquecida com componentes nutricionais e medicinais que pode ser utilizada no controle de doenças e como agente profilático na aquicultura. Possui um revestimento capaz de reduzir a taxa de lixiviação do ativo para água e pode ser empregada para diferentes espécies aquáticas. Tem como substâncias ativas antibióticos, antiparasitários e imunoestimulantes.

Ração de rápido e fácil preparo (não necessita do processo de peletização) e com características nutricionais balanceadas e facilidade de digestão. A ração é revestida como um todo e possui homogeneidade da dosagem do ativo em todos os grânulos. Não provoca danos hepatóxicos aos animais, previne degradação térmica do ativo e evita acúmulo indesejável de gordura no animal.

Vetor vacinal de Salmonella entérica atenuada

O emprego de linhagens bacterianas atenuadas como abordagem vacinal tem sido bastante estudado nos últimos anos. O antígeno Vi purificado de S. enterica Typhi tem se mostrado eficaz em alguns estudos por ser imunogênico quando administrado por via intramuscular ou subcutânea.

A invenção se refere a um vetor vacinal mutante para um gene específico, capaz de promover uma eficiente resposta imune à salmonelose. Esse vetor mutante é estável e possui reduzida virulência e e­ficiente estímulo imunológico. Esta proteína é capaz de regular a expressão de diversas outras relacionadas à patogenicidade bacteriana. Ao deletar tal gene, se gera um padrão de atenuação, e este ainda pode expressar antígenos heterólogos por meio de manipulação genética, resultando em uma vacina multifatorial e induzindo diferentes tipos de respostas do hospedeiro. A tecnologia apresenta baixo custo de produção, linhagem segura e eficiente e é utilizável em vacinações de larga escala.

Composição contendo nanopartículas de prata e uma estatina com ação antimicrobiana

Novo composto com efeito antimicrobiano potencializado que contém nanopartículas de prata e uma estatina para garantir maior eficiência no tratamento de infecções. Trata-se de uma boa alternativa no controle de infecções bacterianas e fúngicas em humanos e outros animais, pois promove a ação antimicrobiana mais potente como alternativa para a antibioticoterapia convencional.  É comum casos de resistência aos antibióticos convencionais, porém ao associar dois componentes, uma estatina e nanopartículas de prata, a nova composição obtém um efeito antimicrobiano potencializado.

A sinergia de tais compostos é capaz de abranger grande espectro de ação bacteriana com melhores resultados na eficiência do tratamento de infecções. Além disso, essa composição favorece a redução de doses de medicamentos, diminuindo custos de tratamento e seus efeitos colaterais.

Microemulsão sanitizante à base de óleos vegetais

Os sanitizantes químicos usados atualmente, além de apresentarem riscos aos manipuladores, possibilitam o desenvolvimento de resistência e adaptação bacteriana. A emergência de bactérias resistentes aos processos de sanitização convencionais pede pela implementação de novas estratégias de controle.

A invenção se refere ao uso de uma Microemulsão que compreende óleos voláteis, obtidos de espécies vegetais, como sanitizante no controle antimicrobiano de células planctônicas e de biofilme. Os óleos voláteis vêm sendo amplamente estudados em processos de higienização devido à sua atividade antibacteriana e, no caso, oferecem uma alternativa para sanar o problema de resistência microbiana. Apresenta fácil transposição para escala industrial. Pode ser utilizada na indústria de alimentos, veterinária ou farmacêutica.

Produção de enzimas para enriquecimento de ração animal

O uso de enzimas na alimentação animal é bastante conhecido e bem explorado. Entretanto, a maior dificuldade na expansão do uso de enzimas ainda é o custo de produção. Uma alternativa para isto seria a utilização de resíduos agroindustriais como substrato da fermentação para produção de enzimas, já que esses resíduos são amplamente produzidos e apresentam potencial nutricional. Nesse contexto, a Agência Inova Unicamp levará para o stand do NIT na feira uma tecnologia que compreende a produção de meios de cultura capazes de viabilizar a produção simultânea de duas enzimas, fitase e tanase, através da fermentação sólida em bagaço de laranja, essas enzimas são amplamente usadas como suplementação alimentar animal. O uso dos resíduos para alimentação animal representa uma alternativa viável para este setor, assim como a produção de biocatalizadores através da fermentação sólida.

Processo de produção de hesperetina

A invenção, que será apresentada pela Agência Inova Unicamp, identifica-se como um processo de extração de  hesperetina, um flavonóide encontrado em frutas cítricas, conhecido por seu poder antioxidante, anticarcinogênico, vasoprotetor. A hesperetina é encontrada em plantas em sua forma glicosilada, pouco biodisponível e com poder antioxidativo.

Além de se ser um ingrediente interessante para indústria alimentícia - por atuar como conservante impedindo a oxidação dos produtos - apresenta  propriedades funcionais e farmacêuticas, como atividade antiviral,  anti-inflamatório e  antimicrobiano.

Carroceria de caminhão para o bem estar animal

Pesquisas demonstram que a ventilação de um dia normal pode estar em torno de 2m/s, mas os animais em uma carroceria recebem uma ventilação com uma média de 0.9m/s. A invenção, que será apresentada pela Agência Inova Unicamp, tem por objetivo reduzir a temperatura microambiente do caminhão, favorecendo o bem-estar de animais a serem transportados.  Com uma maior ventilação, o calor acumulado internamente nas carrocerias é removido, e a sensação térmica experimentada pelos animais causada pela ventilação é semelhante à temperatura ambiente, trazendo alívio.

 Fios de Sutura Especiais

A invenção é um método de obtenção de fios de sutura enriquecidos com células tronco de diversas origens (tecido adiposo, cordão umbilical e medula óssea). Testes apontaram um índice de cicatrização de fístulas gastrointestinais superior a métodos já consagrados com baixo fator de desprendimento de células aderidas ao fio. Esse método possui aplicação no tratamento, recuperação e cicatrização de procedimentos cirúrgicos.

Nanopartículas com baixa citotoxicidade para o tratamento do câncer de bexiga

O câncer de bexiga está entre os cinco tumores malignos mais comuns em todo mundo. O tratamento mais utilizado é baseado na administração intravesical do Bacillus calmette-guérin (BCG) associado à ressecção transuretral. Apesar do efeito antitumoral do BCG, um número significativo de pacientes submetidos a este tratamento apresentam intolerância e complicações potencialmente fatais.

A invenção, que será apresentada pela Agência Inova Unicamp, é um processo de obtenção e funcionalização de carreadores lipídicos nanoestruturados para aplicação no tratamento de células tumorais, como por exemplo, para tratar o câncer de bexiga. A utilização de nanopartículas como carreadoras de fármacos para a terapia intravesical possui a finalidade de redução dos efeitos secundários negativos e das taxas de recorrência no tratamento de câncer urotelial da bexiga urinária. Esse processo apresenta nanopartículas com maior estabilidade, carga e eficiência na liberação dos fármacos que utiliza uma técnica altamente reprodutível e de fácil execução.

Serviço:

Pet South America - Feira Internacional de Produtos e Serviços para a Linha Pet e Veterinária

Stand NIT Mantiqueira - 292

Data: de 15 a 17 de agosto de 2017
Horário: das 13h às 21h
Local: São Paulo Expo Exhibition & Convention Center
Rodovia dos Imigrantes, KM 1,5 | Cep: 04329-900 | São Paulo | Brasil

registrado em:
Fim do conteúdo da página